sexta-feira, 31 de julho de 2009

R.I.P


Foram doze anos. Doze anos de um amor recíproco. De dedicação da nossa parte, da sua parte.
Nosso xodó, muitas vezes as pessoas não compreendiam e questionavam “como amar tanto assim um cachorro?” “pra que tanta dedicação?”. Só quem tem e ama o seu animal de estimação entende.
Doze anos te carregando pra tudo quanto é canto e quando não, pensando o tempo todo em como você estava e morrendo de saudade. Foram viagens e passeios aos mais variados lugares juntas.
Doze anos de encantamento por uma coisinha tão esperta, tão inteligente, tão carinhosa. Sempre que via alguém chorar lá vinha ela com aqueles olhinhos repletos de brilho e era impossível não ficar feliz e não se enternecer só de olha-los.
E quando você aprontava? Quase sempre por ciúmes. Que coisinha mais ciumenta! Como brigar com você olhando para seus olhinhos arrependidos?
Corajosa, e abusada, enfrentava cachorros que tinham cinco vezes o seu tamanho, nos deixando com o coração na boca.
Lembro de tantos, tantos momentos de alegria que você nos proporcionou. Embora faça tempo, ainda consigo ver com detalhes o dia que você chegou em casa, que hoje nem é mais a mesma. Toda assustada ficava encolhidinha tentando se esconder, mas não demorou nada e já estava se sentindo a dona do pedaço. E era mesmo. Cheia de frescura, adorava sentar-se à mesa, dormir na cama, assistir televisão (e interagir com ela), tomar sol, sentir o vento no focinho.
Quando você chegou eu tinha nove anos e deixei os brinquedos de lado porque você era infinitamente melhor do que qualquer um. A gente brincava tanto. Já compartilhamos tantos momentos e você sempre me dando respostas, fosse com olhares gestos ou latidos. A gente se entendia.
Maluzinha, Luzinha, Malu. Meu amorzinho que tanto me fez sorrir hoje só faço chorar por você. Que descanse em paz e que seja tão feliz quanto tenho certeza que foi por aqui.

2 comentários:

érika bazilio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
érika bazilio disse...

a irmã preferida vai sentir muitas saudades.